Produção científica

Psicodermatologia e abordagem cognitivo-comportamental: contribuições para o enfrentamento do vitiligo

Resumo

Dissertação de Mestrado

(Dissertação completa em PDF)

Convivendo com o vitiligo: uma análise descritiva da realidade vivida pelos portadores.

Resumo

A pele desempenha funções biológicas e sociais e, quando afetada por modificações patológicas, pode gerar efeitos também biológicos e sociais na vida de quem possui a doença. O vitiligo é uma dermatose caracterizada pela despigmentação da pele. Atinge de 0,5% a 4% da população em diversos países do mundo, e independe de sexo ou idade para desenvolver-se. Considerado por muitas pessoas como uma alteração unicamente estética, o vitiligo produz as mais diversas consequências psicossociais na vida de quem o possui, modificando o contexto em que estão inseridos seus portadores. O presente estudo tem como objetivo identificar e classificar as variáveis psicossociais e clínicas do contexto em que está inserido o portador de vitiligo, desde a descoberta das manchas até o tratamento, e descrever os tipos de experiências vividas por pessoas que se encontram na condição de portador de vitiligo. Participaram do estudo 63 portadores de vitiligo, com idades entre 20 e 60 anos, homens e mulheres. Os participantes responderam a um questionário online. Os relatos foram analisados com base nos pressupostos da abordagem cognitivo-comportamental. Verificou-se que o contexto em que vivem os portadores de vitiligo (a descoberta, o tratamento e a convivência com a doença) é rico em estimulação aversiva e pobre em reforçadores. Apesar disso, alguns portadores encontram formas de minimizar esses efeitos negativos da doença, promovendo assim condições para uma boa qualidade de vida.
Palavras-chave: psicodermatologia, medicina comportamental, abordagem cognitivo-comportamen- tal, vitiligo, enfrentamento.

(Artigo completo em PDF)

Mulher e Depressão: Uma Análise Comportamental-Contextual.

Resumo

A depressão é, atualmente, um problema significativo de saúde pública. Pacientes deprimidos costumam passar mais dias longe do trabalho, tornam-se, com mais frequência, clinicamente doentes, apresentam maior risco de suicídio do que as pessoas em geral, entre outros problemas. Entre os diagnosticados como “deprimidos”, o numero de mulheres tem sido duas vezes maior que o de homens. A Análise do Comportamento explica a depressão a partir das contingências presentes no contexto ambiental em que o deprimido está inserido. Este artigo consiste de uma revisão bibliográfica acerca da depressão relacionada à mulher e
tem por objetivo discutir essa relação a partir da perspectiva da Análise do Comportamento. Os contextos de gravidez, violência, problemas de saúde e fatores sócio-econômicos e familiares são analisados neste artigo.
Palavras-chave: Depressão, Mulher, Análise do Comportamento, Análise Funcional, Transtorno Psicológico.

(Artigo completo em PDF)

Uma análise etimológico-funcional de nomes de sentimentos.

Resumo

A tese skinneriana de que todas as palavras usadas para designar sentimentos começaram como metáforas foi considera uma “teoria funcional da metáfora”. O objetivo deste artigo é descrever a etimologia de nomes de sentimentos na Língua Portuguesa por meio de uma análise etimológico-funcional na qual foram inferidas as possíveis contingências originais que poderiam ter controlado a emissão desses nomes. Os dados foram cinco nomes  de sentimentos analisados por uma combinação da análise de sua etimologia e de sua função. Os resultados confirmam a tese skinneriana revelando a contingência original que deu o sentido radical ao radical das palavras. Revelam, ainda, a possibilidade de análise funcional de elementos gramaticais adicionais que compõem a morfologia das palavras.
Palavras-chave: Etimologia, Análise funcional, Metáfora, Autoclítico.

(Artigo completo em PDF)

Deixe uma resposta